fbpx
Início » Dia do Humorista – Fazendo graça e bons negócios

Dia do Humorista – Fazendo graça e bons negócios

por agendagyn

A conexão entre humor e internet, além de fama, tem trazido ótimas oportunidades para os novos artistas da comédia, que cada vez mais têm sido convidados para representar as marcas. Em Goiás, o exemplo mais célebre é o influenciador Jacques Vanier, que vincula sua imagem a marcas como a Marajoara Laticínios

Neste Dia do Humorista, 12 de abril, os profissionais da área recebem seu merecido reconhecimento por proporcionar momentos de distração e alegria às pessoas. Mas além de fazê-las rirem, a arte tem se tornado um bom negócio, especialmente para aqueles artistas que sabem usar bem as redes sociais. Se antes a TV era o grande objetivo dos aspirantes ao estrelato da comédia, hoje a internet é o grande celeiro de humoristas, que mesmo sem grandes produções, fazem o riso viralizar.

E essa conexão entre humor e internet, além de muita fama, tem gerado bons resultados tanto para os humoristas, quanto para empresas que optam em vincular suas marcas a esses talentos da comédia. No rastro de nomes como Whindersson Nunes, Carlinhos Maia, da turma do Porta dos Fundos e Parafernalha surge na Web uma nova geração de artistas que fazem muita graça e indiretamente conquistam um valioso espaço como garotos propagandas de grandes marcas.

Em Goiás, o exemplo mais célebre é o rústico e engraçadíssimo Jacques Vanier, que deixou a carreira de engenheiro para se dedicar ao humor. “Quando as marcas me procuraram para fazer propaganda eu fiquei muito feliz, e fiquei mais feliz ainda delas terem gostado do resultado, porque quase todas renovaram contrato”, conta o humorista e influenciador digital que hoje empresta sua imagem para mais de sete empresas, a maioria de Goiás. Sua carreira como humorista começou despretensiosamente.

Comemorando os ótimos resultados com os nove meses de parceria com Jacques Vanier, Tauhana Porto, gestora de marketing digital da Marajoara Laticínios, avalia que o humor é um excelente indutor de mensagens. “As pessoas que estão nas redes sociais consomem muito conteúdo de humor. Os vídeos no Tik Tok e Reels, por exemplo, são um fenômeno e provam essa teoria. Normalmente, são curtos e cômicos, por isso são fáceis de viralizar. Então se você consegue juntar a falar de um produto através de um conteúdo de humor, com certeza tem mais chances de acertar”, esclarece a publicitária.

Com nove meses trabalhando com Jacques como embaixador dos produtos Marajoara, Tauhana revela que a marca em menos de um ano obteve um acréscimo de quase 14 mil novos seguidores, só no Instagram, chegando a 24 mil inscritos. “Além de representar bem a marca, por ser goiano e levar alegria para as pessoas de um jeito bem leve e simples, percebemos o enorme engajamento que o Jacques tem nas redes sociais, e isso é até mais importante que o número de seguidores. O envolvimento dos seguidores dele com o conteúdo que ele produz é muito grande. É o que nós sentimos nas campanhas em que ele participa”, revela Tauhana.

E obviamente, não é à toa que Jacques Vanier tem a mesma avaliação sobre o poder do humor para agregar valores às marcas e empresas. “Acredito que a publicidade e o marketing com humor trazem sim bons resultados, principalmente se for feito de forma orgânica, bem pensada, de forma simples, não com aquela ‘cara’ de só querer vender um produto, mas agregar valores a essas marcas e divertir o público”, argumenta o humorista e influenciador.

E como o sucesso de Jacques Vanier veio justamente de vídeos que brincam com a cultura e o jeito de ser goiano, as empresas do Estado estão entre os seus principais clientes para trabalhos. “Realmente, sempre falei e gosto de falar das coisas de Goiás, da comida típica, do jeito de falar, e acho que por causa disso foi natural que empresas goianas me procurassem. E eu tento valorizar as empresas daqui, até porque foram as primeiras que me contrataram e confiaram no meu trabalho”, afirma.

“I’m bão”
Nascido na capital Goiânia, criado no interior de Goiás e há alguns anos radicado nos Estados Unidos, o então engenheiro civil de formação Jacques Vanier diz que, inicialmente, não pensava em ser humorista, quando começou a postar seus divertidíssimos vídeos na internet.

O humorista e influenciador conta que a ideia era simplesmente matar a saudade das coisas de Goiás, em especial dos tempos de criança na roça. “Lá nos Estados Unidos eu estava numa fase de muita saudade da família, da minha terra. Então eu comecei a gravar os vídeos para tirar essas coisas da cabeça”, costuma contar Jacques durante as entrevistas ao explicar como a despretensiosa carreira de humorista começou.

Mas hoje, diante do sucesso que faz com seus vídeos, Vanier acredita que sua veia cômica estava apenas escondida e que as dificuldades que passou fora do País deflagraram o seu talento, que segundo ele, também teve uma contribuição importante de sua avó paterna, Dona Maria Aparecida.”Sempre gostei de escrever, até porque minha avó foi escritora, então acho que herdei essa facilidade dela. E com as dificuldades que vivi nos Estados Unidos, com a saudade enorme que sentia da minha família de voltar para Goiás, eu juntei essa aptidão para escrever com o humor e comecei a fazer os vídeos. Então foi uma válvula de escape para os momentos difíceis que passei”, lembra.  

Além de muito sucesso, Jacques Vanier acumula um gigantesco patrimônio digital na internet em termos de seguidores. O artista conta com 3,3 milhões de seguidores no Instagram, outros cerca de 3 milhões no Tik Tok e um milhão no Facebook. E a mais recente rede social em que Jacques está presente é o Youtube, onde começou há pouco tempo, mas já está com mais de 400 mil seguidores.

Jacques também acumula hoje muitos fãs famosos, em especial entre os cantores sertanejos como Gusttavo Lima, Eduardo Costa, Marília Mendonça e Felipe Araújo. Seu primeiro vídeo, em que aparece interpretando a si mesmo e uma americana que parece conhecer muito pouco de Goiás, teve mais de 120 mil visualizações em pouco mais de 24 horas.

Influências
Lembranças de hábitos típicos de Goiás e as comparações entre o “goianês” e o inglês são as marcas registradas dos vídeos de Jacques Vanier. Outra marca do humorista goiano é a expressão “I’m bão”, que ficou famosa após a divulgação de um de seus vídeos mais conhecidos, em que ele tenta comprar pamonha e galinhada num drive-thru da rede McDonald’s na Califórnia, nos Estados Unidos.

Vanier diz que sempre gostou muito dos artistas do humor e acompanha de perto alguns. Hoje, como um humorista profissional, ele revela quem são seus grandes influenciadores. “Sempre fui muito fã do Whindersson Nunes, que me inspira muito com seus espetáculos de stand-up. E também sempre fui muito fã do Geraldinho Nogueira, que é um contador de causos e humorista que foi muito famoso aqui em Goiás e que minha bisavó me apresentou. Eu procuro me inspirar muito nele, pois acho que é um humor simples, sem palavrão, sem polêmica, mas sempre com histórias muito engraçadas, algo para toda a família”, conta.

Publicações Relacionadas

Deixe um comentário